domingo, janeiro 20, 2008

A rapariga dos jornais

Todas as manhãs passo por uma rapariga que sorri. Encontro-a sempre no mesmo semáforo, a distribuir jornais grátis, vestida com um impermeável amarelo, quase verde. Não consigo deixar de olhar para ela, porque sorri enquanto entrega cada jornal, desafiando as caras zangadas, dos que estão confortáveis dentro dos carros. É um sorriso ligeiro, mas não um cumprimento forçado, porque faz os olhos brilhar. A manhã fica perfeita, um sentimento que vai desaparecendo ao longo do dia, mas que renasce no seguinte. Na sexta-feira parei o carro perto do semáforo, ela aproximou-se, eu não aceitei o jornal, eu nunca aceito o jornal, mas devolvi um sorriso, agradeci, mais um começo de dia.

Uma música toca sem parar.

She says she's not worried of being alone
Her mind gives her more than her lover

3 comentários: